As 10 mortes mais ridículas e improváveis da história da humanidade

MYokai|2017-11-10

Nessa vida só temos certeza de uma coisa: Um dia vamos morrer! Você já deve ter ouvido essa frase algumas vezes por aí.

Sim! Essa é a única certeza que temos e todos os dias milhares de pessoas morrem ao redor do mundo das mais diferentes causas possíveis que se formos citar aqui ficaremos horas mencionando.

Agora já pensou ter uma morte inusitada para não dizer idiota, exatamente isso mortes que você fica se perguntando; Como isso aconteceu?

Separamos dez dessas mortes para que você possa entender do que estamos falando.

Vejam:

1- Mordendo a língua

Allan Pinkerton, ficou conhecido por criar a agência Pinkerton de detetives, a primeira desse segmento nos Estados Unidos. No ano de 1884, Allan acabou escorregando em uma calçada e mordendo sua língua. Com a mordida sua língua infeccionou e pasmem ele acabou morrendo de gangrena.

2- Vitória mortal

O ano era 1923, e Frank Hayes acabou sofrendo um ataque cardíaco fulminante, durante uma corrida de obstáculos em Belmont Park, Nova York. Frank era um famoso treinador de cavalos por profissão e não um jóquei, por isso ele nunca havia competido profissionalmente antes.

Frank correu com um cavalo chamado Sweet Kiss, e morreu pouco antes de cruzar a linha de chegada. Portanto, a única corrida que ele participou e ganhou profissionalmente ele já estava morto.

3- Colírio fatal

Tennessee Williams, foi um dos mais famosos dramaturgos dos Estados Unidos. Ganhando diversos prêmios.

Williams tinha depressão e seu temor era ficar louco, ele até chegou a ser internado em uma clínica psiquiátrica em 1969, depois de grave colapso. Em 1983, Williams, estava sob efeito de drogas e tentou abrir um colírio com a boca. Geralmente ele segurava a tampa da embalagem na boca, para então pingar o colírio nos olhos, porém, nesse dia ele acabou engolindo a tampa, engasgando e morrendo asfixiado.

4- Bobby e a casca de laranja

Bobby Leach, foi um famoso dublê de circo de Cornwell, Inglaterra. Bobby sempre desafiava a morte e dizia não ter medo dela, em 1911, ele foi o primeiro homem a pular dentro de um tambor nas cataratas da Niágara e sobreviver. Nessa experiência ele quebrou os 2 joelhos, a mandíbula e teve algumas outras lesões e precisou de 6 meses para se recuperar.

Já em 1926, Leach estava, em Christchurch, Nova Zelândia, e acabou escorregando em uma casca de laranja enquanto caminhava tranquilamente e quebrou o pé, foi levado para o hospital, mas seu pé infeccionou e precisou ser amputado. Mesmo com a amputação, Bobby morreu cerca de dois meses depois.

5- Defesa de causa extrema

Depois da Guerra Civil, o polêmico político Clement Vallandigham, tornou-se um advogado de respeito que dificilmente perdia uma causa. No ano de 1871, pegou um caso de Thomas McGehan que estava sendo acusado de disparar em Tom Myers em seu quarto. Clemente alegava em sua defesa que seu cliente havia disparado por acidente ao colocar sua pistola numa posição para se ajoelhar. Na tentativa de convencer o júri, Clemente tentou demonstrar sua tese, na prática, agarrando uma arma carregando e acabou por disparar nele mesmo.

6- Overdose de cenoura

O ano era 1974, e um homem identificado como Basil Brown acabou tomando incríveis 10 litros de suco de cenoura em 10 dias. Esse exagero causou em seu sangue uma quantidade 10 mil vezes maior de vitamina A do que o normal. Essa quantidade extremamente exagerada forçou seu fígado trabalhar demais, ele acabou tendo uma lesão hepática e morreu.

7- Morte pelo vidro inquebrável

Garry Hoy era advogado e engenheiro na cidade de Toronto, Canadá. Em suas reuniões ele tinha o costume de se lançar contra uma janela de vidro para provar que o vidro era inquebrável.

Só que um dia, durante uma dessas reuniões onde participava um grupo de estudantes, ele novamente se lançou contra o vidro, e infelizmente acabou caindo do vigésimo quarto andar. O vidro realmente não quebrou, porém, a moldura que sustentava acabou se soltando e causando o acidente fatal.

8- Morto por não morrer

John Kendrick era um famoso capitão marítimo americano. Considerado uma lenda em suas batalhas, ele foi homenageado, em 1794, por suas capacidade e por nunca ter sido atingindo em alto mar. Um dos atos previstos para sua homenagem era o disparo de 13 tiros de canhão. Entretanto, um dos canhões por algum motivo estava mal calibrado e acabou atingindo o navio onde John estava, matando-o, justamente quando comemorava sua habilidade de não morrer.

9- Morto por um morto

Sigurd Eysteinsson foi um poderoso líder viking, e quis o destino que um de seus troféus fosse a causa de sua morte. Depois que venceu uma batalha contra Máel Brigte de Moray, Sigurd, Sigurd cortou a cabeça para depois exibir para seus súditos e mostrar todo seu poder.

Só que durante a cavalgada de volta, a cabeça de seu inimigo ficou pendurada na sela e conforme o galope seu cavalo ia galopando, ela foi pegando em sua coxa, ainda para seu azar, os dentes do falecido começaram a bater na coxa, mas Sigurd, seguiu sua trajetória sem se importar com aquilo. Algum tempo depois esse pequeno machucado foi abrindo e piorou, transformado em uma infecção gigantesca que acabou levando Sigurd à morte. Portando ele foi considerado o primeiro homem a ser morto por um morto.

10- Morto por afogamento na comemoração de não afogamentos

Em 1985, pouco mais de 100 salva-vidas participaram de uma festa em New Orleans, onde se comemorava uma temporada de verão sem qualquer afogamento na região. A festa envolvia bebidas e acontecia na piscina municipal.

Já no final da festa, Jerome Moody foi achado já sem vida na piscina afogado! Os salva-vidas ainda tentaram revivê-lo, porém, sem sucesso já que ele estava há muito tempo dentro da água. Jerome não era um salva-vidas, entretanto, naquele dia, tinham no local 100 excelentes nadadores, além de quatro salva-vidas que cuidavam da piscina. Mesmo com tudo isso, a temporada de não afogamentos, em New Orleans, não passou ilesa.