Esperançosa, Sabrina Sato fala sobre fim de programa, e admite: “O faturamento é quem manda na TV”

Vanguarda News|2018-03-29

Sabrina Sato realmente tem esperanças que o seu programa dure muito tempo na Record. A japa se mostrou esperançosa quanto a continuação de sua atração aos sábados e até disse que gostaria que ele fosse ao vivo.

Em conversa com o jornalista Maurício Stycer, ela também falou sobre como vê o futuro da televisão em tempos de internet e revolução digital: “Só alguns programas de auditório vão sobreviver”. E ela espera que o seu seja um desses, apesar da baixa audiência.

A contratada da Record ainda falou sobre o seu antigo programa, o Pânico, que foi extinto no ano passado. Ela se mostrou triste com o fato e disse: “É muito triste, mas é por que o que manda na TV hoje em dia é o faturamento”.

Sobre fazer matérias de aventura em seu programa, ela confessou: “É o tipo de matéria que, saiu nas pesquisas aqui, que as pessoas gostam de me ver em ação, que gostam de me ver em momentos de situações extremas.

Sobre como as ideias dessas matérias surgem, ela afirmou: “Eles falam assim pra mim (a minha produção) ‘A gente teve uma ideia… você vai gravar na semana que vem na casa de fulano, aí vai pular do paraquedas tal, vai fazer isso e aquilo…’ E eu respondo: ‘Ai, que legal, vamo!’. Eu não sei falar não, por que eu não posso cortar a ideia deles”.

Ela ainda revelou a influência de Emílio Surita, do Pânico, sobre a sua coragem. Ele falava assim “O bom é que ela não fala não, por que se você fala não, outra pessoa vai lá e faz melhor do que você, vai no seu lugar”.

Sobre uma edição do seu programa, que foi deletado por completo por um editor, ela confessou: “Acho que foi um surto, mas ele se arrependeu muito e pediu desculpas. Ele sempre trabalhou direitinho com a gente, desde o início”.

Sobre outros sonhos na TV, ela adiantou: “Eu tenho vontade de fazer um programa com outras mulheres, conversando… eu tenho vontade de fazer um programa de moda, que eu acho que tem super a ver comigo…”